FATORES DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O TABAGISMO

O tabagismo é considerado uma doença e já não é novidade que o vício traz sérias consequências ao organismo do fumante. O uso contínuo do tabaco cria um complexo sistema de dependência: a nicotina, constantemente oferecida ao cérebro, muda o seu funcionamento, obrigando o fumante a consumi-la para produzir os neurotransmissores responsáveis pelo bem-estar e pela capacidade de concentração.

Cerca de 1,3 bilhão de pessoas são fumantes no mundo. Em 90% dos casos, a faixa etária de maior procura pelo cigarro se dá antes dos 20 anos. Fatores psicológicos, sociais e até genéticos podem levar o indivíduo a começar a fumar, e existe uma sensibilidade genética a se tornar dependente pela nicotina.

Os efeitos causados pelo cigarro

O cigarro pode afetar as pessoas de várias maneiras:

  • Provoca dependência pela nicotina, o que obriga o fumante a fumar várias vezes, todos os dias.
  • Provoca lesões em vários órgãos, levando às doenças que mais matam no mundo: câncer, infarto do miocárdio, DPOC, aneurisma de aorta, acidente vascular cerebral, além de aumentar a incidência de infecções.
  • Provoca um gasto de dinheiro importante. Um maço custa cerca de R$ 5,00. Além disso, se gasta com isqueiro, fósforo, roupas queimadas, tempo que se para de trabalhar para fumar, além do custo das doenças e das aposentadorias precoces.
  • Além do impacto direto ao fumante, o cigarro provoca danos ecológicos, destrói florestas, utiliza insumos tóxicos para natureza e causa 20% dos incêndios.

Doenças relacionadas ao cigarro

As doenças mais comuns são:

  • Câncer: o cigarro possui entre 50 e 80 substâncias cancerígenas e 30% de todos os cânceres são relacionados ao cigarro. Os principais são os de pulmão (o cigarro é o responsável em 85% dos casos), boca, laringe, faringe, estômago, pâncreas, rim, bexiga e colo do útero.
  • Doenças coronárias: responsável por 25% dos infartos e anginas.
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC): 85% dos pacientes com bronquite crônica e enfisema são fumantes.
  • Acidente vascular cerebral: 25% das ocorrências de derrame cerebral.

Deixe um comentário